terça-feira, 1 de agosto de 2017

Sete Anos de Patrimônio da Humanidade

Sete anos de chancela de patrimônio da humanidade, muitos da população Ainda não conseguiram vislumbrar a importância de se ter um patrimônio da humanidade, levando apenas em consideração apenas questões políticas.
Um dos pontos principais é a rejeição da população ao instituto do patrimônio histórico nacional o IPHAN, que nos primeiros anos de atuação na cidade foi um grande avanço, restaurando prédios, ruas, praças, só que com o passar do tempo, se transformou em inimigo da população, até os dias atuais, com fiscalizações duras é desproporcional, trava o crescimento da cidade, sem demonstrar o mínimo interesse, ou o que demostra , no desenvolvimento econômico da cidade, aumentou sua área de fiscalização, praticamente inviabilizando o desenvolvimento na cidade, e  sem políticas de desenvolvimento juntamente com a preservação, não consegue a simpatia daqueles que têm o maior papel na preservação, o morador da cidade.
É inegável a importância deste título, poucos lugares no mundo pode ostentar esse título, e a praça São Francisco, é sem duvida o símbolo maior da sergipanidade.
Muitos esperavam grandes transformações na cidade a curto prazo, foi vendida essa ideia, mas não podemos esquecer que durante esses sete anos tivemos administrações catastróficas, que pouco se importavam com a cidade, imagine a praça.
A administração atual do prefeito Marcos Santana, tem uma postura diferente diante dessas questões, valoriza visivelmente essa questão histórico-cultural,
A população não pode simplesmente esperar que alguém venha de fora nos valorizar, mas que os moradores da cidade, valorizem esse patrimônio que antes de ser do mundo, é nosso.

Nenhum comentário: